Uruguai - Montevideu

Uruguai - Montevideu

Roteiro: Montevidéu em dois dias

Há destinos internacionais que são um bom começo para quem não quer ir muito longe. Buenos Aires é, de longe, destino cativo da brasileirada. Montevidéu e Santiago do Chile também. Qualquer um desses, podemos dizer, vai com alguma tranquilidade! Nós estivemos na capital uruguaia em julho de 2016, portanto, em pleno inverno. Como é de conhecimento de todos - ou quase todos -, o Uruguai é um destino que nos dá garantia de certa qualidade de turismo. No entanto, sejamos francos, não vamos hipervalorizar a situação, pois há também alguns probleminhas que precisamos enfrentar. Sobre eles trataremos mais adiante. O importante agora é deixar claro que as dicas que reunimos aqui poderão ser especialmente úteis para viajantes que seguem, pela primeira vez, ao nosso vizinho do extremo sul, ok? Então, vamos nessa?

Primeiro dia

 

Se você chegou em Montevidéu pelo Aeroporto Carrasco a primeira coisa que se precisa enfrentar é seu traslado do aeroporto até seu hotel, certo? Nós, como regra, sempre utilizamos transporte público. Táxi, em nosso estilo de viagem, é alternativa para horários ruins para o uso do transporte público ou para local e horário em que os mesmos não estejam em funcionamento. Como nós chegamos no Uruguai em meados do dia, não pensamos duas vezes, seguimos para o nosso hotel por intermédio do bom e velho ônibus.

 

Escritório de turismo no aeroporto Carrasco: não esqueça de pegar o seu mapa!

 

O aeroporto é bastante pequeno, não havendo mistério: há um ponto de ônibus bem à frente do aeroporto. Qual ônibus? Há um escritório de turismo no lado esquerdo da saída do desembarque. Ali obtivemos informações claras sobre as alternativas de saída do aeroporto. O ônibus não demorou, podemos dizer que foi um traslado tranquilo. É bom que se diga que, em geral, não são novos naquele pais.

 

 

Chegou no hotel, se instalou, maravilha! Em geral os turistas sequem para a Cidade Velha ou para suas proximidades. A região, a despeito da forte presença de turistas, é bastante precária. Há sujeira por toda parte e uma sensação de insegurança flagrante. Nada nos aconteceu, além da advertência de um uruguaio, em plena rua, que nos alertou para os perigos com os assaltos naquele região. No hotel não houve qualquer advertência. Enfim, olho aberto!

 

Praça de Independência (ao fundo o edifício Salvo)

 

Feito seu translado e instalação em hotel, é hora de começar a curtir a cidade. Nossa sugestão é que vá direto para a Praça Independência. Ela reúne prédios importantes da cidade, inclusive a Presidência da República do Uruguai. Aquele, contudo, que mais nos chama a atenção é o Palácio Salvo. Ele data de 1928 e por algum tempo foi o maior prédio da América do Sul. Hoje não é o seu tamanho apenas que nos chama a atenção, mas justamente suas inusitadas formas. 

 

Fachada do prédio da Presidência da República

 

Em toda praça um gracioso Kiosco!

 

Na mesma praça é possível visitar o Mausoleu do General José Artigas, o herói nacional uruguaio. Caso esteja ao lado do mausoléu e olhando o edifício Salvo, às suas contas estará a antiga porta da cidade

 

A antiga porta da cidade

 

Ao atravessar a antiga porta, terás acesso à famosa Peatonal Sarandi. Trata-se do caminho mais seguro (não necessariamente mais limpo) para a região do Porto. Logo à sua esquerda verás o Museu Torres Garcia. Nós visitamos o museu, não nos pareceu aquele programão, mas curtimos.

 

 

O uruguaio Joaquin Torres Garcia (1874-1949) foi um intelectual, pintor, escultor e desenhista muito popular. Frequentou círculos artísticos e intelectuais europeus, mas também, na altura dos anos 1920, viveu em Nova Iorque, nos Estados Unidos. Nos anos 1930, com o currículo repleto de experiências, retorna para a capital uruguaia, onde revolucionará as artes.

 

Ursula ao lado do cara!

 

Digamos assim que ele é o mais fiel representante do modernismo nas artes do Uruguai.

 

O seu museu, instalado nas proximidades da Praça da Independência, Cidade Velha, foi inaugurado em 1949, logo após a sua morte.

 

O museu não apenas abriga a obra de Torres Garcia, mas também de outros (inusitados) modernistas!

 

 

Diferente de museus que conhecemos nos Estados Unidos, Inglaterra e outros países, inclusive no Brasil, o Museu Torres Garcia (aliás, como outros museus uruguaios) segue o estilo contemplativo. Há pouco informação disponível, nenhum meio de interação ou qualquer outro recurso que possa tornar a visita mais interessante, especialmente para as crianças. Esse é um limite que se precisa lidar quando se trata de museus na capital uruguaia.

 

Bem, vamos continuar a saga! Siga a Peatonal por cerca de dois ou três quarteirões e vire à sua esquerda na Perez Castellano. Terás acesso às famosas Ramblas. Essa é uma região que se pode gastar algum tempo. Basta contemplar a incrível paisagem que o Rio da Prata nos proporciona. Observe o Farol de Punta Carretas, certamente estarás bem próximo dele.

 

Tem até praia!

 

 

Segundo dia

 

Volte para a Peatonal Sarandi e siga até a Plaza Constituicion. Nela terás acesso à Catedral Metropolitana da cidade. Nós tivemos oportunidade de visitar a catedral, acessem nossas impressões.

 

 

Criada em 1720, está instalada na Praça de la Constituicion, na Cidade Velha, Montevidéu. Como se vê, a Catedral Metropolitana de Montevidéu é uma igreja histórica!

 

 Bem nas proximidades da praça é possível fazer uma boa pausa para um café, que tal? Recomendamos o Café Brasileiro

 

 

Ele foi o café preferido de várias personalidades, talvez a mais famosa dela seja o historiador uruguaio Eduardo Galeano. Há, inclusive, indicação de uma mesa que seria de seu constante agrado.

Almoço e compras das tais lembrancinhas? Siga a Peatonal até o Mercado do Porto.

 

 

Uma alternativa para curtir um pouco mais a região está no Museu de Arte Precolombiana e Indígena

 

 

Museo de Arte Precolombino e Indigena (MAPI) está situado na cidade Velha (Cuidad Vieja, 25 de mayo, número 279), bem no centro de Montevidéu.Nós somos amantes dos museus e precisamos confessar que o MAPI, como os demais museus da capital uruguaia, não chama a atenção pela originalidade museográfica, pela beleza ou pela riqueza do seu acervo. Como outros museus que tivemos oportunidade de visitar, estamos diante de um relativamente modesto, mas ainda assim interessante e com os seus encantos. O MAPI impressiona mesmo é pela beleza e pela grandeza do seu prédio. Em seu interior, contudo, logo percebemos um certo vazio e, porque não dizer, uma falta de criatividade no tratamento do material disponível.

 

 

É preciso terminar o dia à altura. Nossa sugestão é que visite, nas redondezas da Praça Independência (portanto, voltando pela Peatonal Sarandi), o incrível Teatro Solis. Saibam que há uma providencial visita guiada. Nós, é claro, a encaramos. Basta chegar cerca de meia hora antes de cada visita. Nós chegamos, por exemplo, às 15:30 e frequentamos a visita-guiada das 16h.

 

O interior do teatro não decepciona

 

A visita dura cerca de 40 minutos e envolve a fala de dois jovens guias que tratam de contextualizar o funcionamento do teatro de sua fundação até os dias de hoje. Detalhes de arquitetura e organização do teatro também são contemplados durante a visita. 

 

 

Como se vê, não é o nosso forte a vida noturna. Nossas roteiros e programação são adaptados para quem viaja com crianças. Por essa razão não temos muito a dizer sobre as possibilidades para diversão em boates, bares e vida noturna em termos gerais. Uma dica que podemos dar envolve uma passadinha pela região de Pocitos (foto acima). Imaginem que esta região é a área mais nobre da cidade, com seus prédios luxuosos à frente do Rio da Prata. Vale a sua visita.

 

Metemos o pé na estrada!

 

Imaginamos que quem visita Montevidéu também visitará outras cidades uruguaias. Em primeiro lugar porque o pais é bastante pequeno. Em um único dia de carro é possível atravessarmos de ponta à ponta o pais. Em segundo lugar porque há outras atrações que realmente valem à pena. Nós nos programamos para conhecer Punta del Este e Colônia del Sacramentos, outras duas cidades muito famosas nos roteiros turísticos.

 

Infelizmente não tivemos condições de conhecer Punta. Alugamos um veículo e tivemos problemas para acessá-lo. Eis aqui maiores detalhes.

 

Enfrentamos também alguma dificuldade para chegar à Colônia, mas conseguimos, desta vez, superar os obstáculos! Pegamos nosso carrinho e rumamos para oeste. Aqui poderão ter acesso às nossas sugestões e dicas para Colônia del Sacramento.

 

 

Mais sobre a sua viagem:

 

Onde ficar? Montevideu, relativamente a outros destinos internacionais, é uma cidade com bons preços, inclusive na rede hoteleira. Nossa regra é a de sempre: pagar preço justo e ficar bem instalado nas proximidades das principais atrações. Assim foi. Ficamos instalados no Hotel Orpheu, bem na cidade antiga.É preciso reconhecer que há vantagens e desvantagens em se instalar nessa região. Comecemos pelas vantagens: você estará, sem dúvida, a um passo das principais atrações da cidade. Uma maravilha para quem gosta de caminhar e conhecer tudo sem muito esforço. O lado ruim é que, para a nossa surpresa, o centro antigo da cidade é muitíssimo degradado. À noite a recomendação era não sair do hotel. Isso tirou boa dode se prazer em estar na cidade. afinal - para quem mora no Rio de Janeiro - sair de férias para ter medo de assalto não é nada confortante.

 

O café da manhã do hotel não deixou saudade, mas dava para o gasto

 

 

Quando ir? Duas coisas importantes merecem ser ditas para uma pergunta dessas. Em primeiro lugar, se não suporta frio, não vá no inverno. Em segundo lugar, se puder viajar nas estações intermediárias, isto é, primavera e outono, será melhor. Eventualmente será surpreendido pelo frio, mas, como regra, nada fora do normal. Além disso, como estará na chamada baixa estação, tudo estará mais vazio e certamente com preços mais em conta. Agora, se o teu interesse é o frio, como é o nosso caso, vá tranquilo durante o inverno. No final das contas, não é nada que não se possa conviver. 

 

E o que mais? Montevideu é um destino próximo e muito interessante! Adoramos a cidade!  Quem não tem ainda muita experiência em viagens internacionais o Uruguai - junto com a Argentina e o Chile - pode ser uma escolha interessante. As referências à gastos pode dar uma falsa ideia, a de que a viagem é inacessível. Em primeiro lugar convém registrar que Montevideu não está entre as cidades mais caras do planeta, longe disso. Não chega aos pés, por exemplo, de Londres. Em segundo lugar, não resta dúvida de que um bom planejamento de viagem costuma tornar a viagem não só mais segura, mas também mais em conta. Aqui nossas dicas sobre planejamento de viagem.

 

Por fim, chamamos a atenção para um ponto importante em qualquer viagem: a saúde. Como é de conhecimento de todos, a posse de seguro saúde é quesito para ingresso na Comunidade Européia, mesmo como turista. Adicionalmente, é muito pertinente que o viajante tenha conhecimento básico acerca das características do sistema de saúde do pais para o qual se dirige. Maiores informações aqui!

 

Para fechar mesmo, alguns comentários sobre possíveis problemas durante a sua viagem