República da Irlanda - Dublin

República da Irlanda - Dublin

Dois dias em Dublin

 
 
A Irlanda, além de bela, é um alento para os bolsos. Se comparada a outros países, como Inglaterra e França, podemos dizer que nos oferece um turismo de qualidade sob preços bastante moderados. Acreditamos que se pode equilibrar essa potencial economia com escolhas interessantes, por exemplo, no campo da estadia. A este respeito, por favor, faça a saiba escolha de se instalar no centro histórico. Ganharás tempo e também economizará em traslados (nossa dica para hotel)
 
 
 
O Rio Liffey
 
 
Mas comecemos pelo começo: o aeroporto. Saiba que a imigração é bastante cuidadosa. Acontece que Dublin, ainda que fora do Reino Unido, é compreendida como parte dele. Sem dúvida é mais fácil controlar a entrada de pessoas no aeroporto do que na fronteira República da Irlanda e Irlanda do Norte. Entre esses dois paises o traslado é completamente livre! Dito de outro modo, ao ingressar em Dublin, estará tecnicamente no Reino Unido. Isto em parte explica a quantidade de perguntas que o agente de imigração poderá te fazer. Passada esta fase, é chegada a hora de rumar para o hotel, certo? Saiba, ainda, que o aeroporto é bastante distante do centro da cidade. Até onde pudemos atestar, táxi não costuma ser propriamente barato. 
 
 
Aeroporto de Dublin
 
 
Em frente ao aeroporto há duas linhas de ônibus - daqueles de dois andares - que fazem a comunicação do aeroporto com o centro da cidade. Mesmo pessoas com malas mais robustas podem fazer uso desse transporte sem muitas dificuldades. Por menos de 10 euros se pode sair com segurança do aeroporto.
 
 
O traslado aeroporto-centro-aeroporto
 
 
Instalado, por onde começar?  Comecemos pelo básico do básico. Siga para a O`Connell Street. Ela é uma espécie de artéria principal no centro da cidade. Repleta de atrações, inclusive restaurantes, apesar do transito intenso de veículos, funciona como uma espécie de passeio público. 
 
 
 
 
 
 
Quase no centro da foto se pode ver o Spire (a imensa agulha de 120 metros). O monumento data de 1999, antes dele, até 1966, existia um outro monumento que fora objeto de ataque do Irish Republic Army, também conhecido pela sigla IRA. A construção do Spire, portanto, é uma espécie de marco tanto da paz quanto de revitalização do centro da cidade.
 
 
 
 
De frente para o Rio Liffey siga à direita. Alguns poucos quarteirões depois estará no miolo histórico da cidade. Local onde se pode encontrar o mais famoso pub da cidade, aquele que parece ter as cadeiras mais disputadas de Dublin! O Temple Bar.
 
 
 
 
À essa altura, caso o visitante já tenha conhecido outras capitais européis, já poderá ter notado que Dublin não é exatamente uma cidade bela. Quem já esteve em Manchester, no Reino Unido, sabe do que estamos falando. Há um aspecto fabril e um certo ar de decadência no que se pode ver. Nada que seja deprimente, pelo contrário, entendemos que faz parte da história da cidade. 
 
 
 
Aliás, é esse clima que envolveu, no passado, guerra e pobreza sob uma combinação literalmente explosiva, que fez nascer uma cultura, em particular, uma música absolutamente fantástica. Digamos assim, uma MPI, Musica Popular Irlandesa!
 
 
 
Há, nessa região, diversas referências à música popular irlandesa, inclusive um museu que, infelzimente, não tivemos tempo de visitar.
 
 
 
 
Nessa mesma região se pode também encontrar o famoso Castelo de Dublin
 
 
 
 
À esta atura, se não comeu nada, só podes estar morrendo de fome, certo? Saiba que estarás bem próximo do Leo Burdock. Dizem as boas línguas que se trata do Fish and Chips mais famoso da cidade. 
 
 
A julgar pelos clientes, parece que é sim bastante famoso
 
 
 
A comida é boa, o preço é ótimo, o único problema é que a coisa é take away. Não há cadeiras, balcão, tem que pegar o fish and chips e picar mula!
 
A região, sem dúvida, é a mais bacana da cidade. 
 
 
Abaixo a Molly Malone, em referência a uma das canções mais populares do pais
 
 
 
O dia já se foi. Nós, que viajamos com criança, seguimos o caminho do hotel, dormimos cedo e acordamos igualmente cedo para perambular. Quem está em situação diferente bem que pode curtir um dos pubs da cidade. Acho que não dá para se arrepender não.
 
 
 
 
No segundo dia voltamos para a região da velha Dublin e não nos arrependemos. Há uma atração chamada Dublinea.
 
 
 
Os vestígios do passado estão lá!
 
 
 
Dublinea é, na verdade, um museu que dá conta da história da cidade de Dublin. Dublin tem sua origem celta e como celtas seguiram até por volta do século 13, quando os anglo-saxãos chegaram á ilha e iniciaram uma convivência sempre difícil com os locais. Boa parte do que conta a história desse passado mais distante encontra-se soterrado. Acontece que a modernização da cidade fez emergir um sem número de materiais arqueológicos. Houve grande discussão sobre manter-se apegado ao passado ou avançar rumo a futuro e soterrar, em nome do progresso, aqueles vestígios. O pouco que se conseguiu recuperar transformou-se em acervo do Dublinea.
 
 
A exposição te leva aos primórdios de Dublin
 
Ops ...tá cansado? Tá na hora de parar para beber algo, certo?
 
 
Ali mesmo encontramos um pub ótimo, o Quays Irish Restaurant. Ali experimentamos a boa culinária irlandesa.
 
 
 
Há escolhas ou um dia seguinte, ok? Uma opção que encaramos foi o Museu de História Natural da Irlanda. Não está á altura do inglês e austriaco, que tivemos oportunidade de visitar anos antes. Mas não é de todo mal. Além disso é gratuito!
 
 
 
Que fique claro: só usamos transporte público para ir e voltar do aeroporto. Tudo o mais está em um raio que, pelo menos para os nossos padrões, permite caminhada
 
 
 
Nas proximidades do museu não deixe de atentar para uma casa branca, de esquina, foi nessa casa que viveu um dos escritores irlandes mais famosos: Oscar Wilde.
 
 
Veja:
 
 
A frente da casa há uma pracinha que pode ser especialmente interessante para crianças e um bom ponto de descanso para os adultos
 
 
 
Tem pique?
 
Pode terminar o dia no Phoenix Park. A notícia ruim é que ele fica do outro lado da cidade. Nós caminhamos, mas é uma caminhada de respeito.
 
 
 
O Phoenix é reconhecido como o maior parque público de toda a Europa. São mais de 700 hectares!
 
 
Se ir à parque não te apetece, saiba que no caminho, mas já nas proximidades do parque, estão as instalações da Guiness. Trata-se de uma das mais importantes atrações da cidade. Há uma visita que algumas pessoas referem ser interessante. Até progamamos ir, mas depois de tanto museu, achamos melhor descansar um pouco no parque.
 
 
 
Ao pisar em lugar tão distante e, literalmente, ilhado, convém aproveitar a visita e conhecer alguns outros lugares acessíveis de Dublin. Queríamos visitar muitos outras cidades e lugarejos, mas, dentro do tempo que tinhamos disponível, só foi possível fazer o seguinte:
 
A ilha é bem abastecida de trens e ferrovias, mas como em toda a Europa, saiba que o ônibus é o veículo de transporte mais em conta.
 
 
 
Visitamos a incrível Skerries e seus moinhos
 
 
Subimos para o norte da ilha até Belfast.
 
 
 
Mais sobre sua viagem:
 
 

Por fim, cabe dizer que Dublin é um destino incrível! Adoramos aquela cidade! aliás, não só a gente, pois há uma importante colônia de brasileiros residentes por lá. A presença de brasileiros é tal que, na passagem pela imigração, fomos especialmente inqueridos. Mas, tudo tranquilo. A cidade é longe? Pode parecer inalcansável, certo? As referências à tantos gastos pode dar uma falsa ideia, a de que a viagem é inacessível. Em primeiro lugar convém registrar que Londres, de fato, requer bom planejamento de viagem. Não é nada barata! Não resta dúvida de que um bom planejamento de viagem costuma tornar a viagem não só mais segura, mas também mais em conta. Aqui nossas dicas sobre planejamento de viagem.

 

Por fim, chamamos a atenção para um ponto importante em qualquer viagem: a saúde. Como é de conhecimento de todos, a posse de seguro saúde é quesito para ingresso na Comunidade Européia, mesmo como turista. Adicionalmente, é muito pertinente que o viajante tenha conhecimento básico acerca das características do sistema de saúde do pais para o qual se dirige. Maiores informações aqui!

 

 

Não pare aqui, que tal um passeio pelo UK?

 

 

Roteiro para Manchester

 

Roteiro para Liverpool

 

Roteiro para Edimburgo

 

Roteiro para Belfast

 

Roteiro para Londres

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!