Brasil - Armação de Búzios-RJ

Brasil - Armação de Búzios-RJ

Roteiro para 2 dias

 

Armação de Búzios ou simplesmente Búzios é um dos mais famosos balneários do pais, desde a inusitada presença da atriz francesa Brigitte Bardot na cidade, nos idos anos 60. Sua marcante presença, somada, é claro, às belezas naturais da cidade, projetaram a pequena vila de pescadores para o mundo. Desde então tornou-se chic andar pelas suas pequenas ruas e inundar nossos olhos pelas belezas de suas paisagens e praias. 

 

Obviamente, todo esse glamour agregou - como dizem os economistas - valor ao local. Búzios não é um lugar barato. Estadia, restaurantes e passeios podem sair salgados. É aquela coisa, basta chegar alguns navios repletos de turistas com dolares e euros no bolso que, pronto, fica a dura competição com os turistas tupiniquins. Mas, enfim, para tudo se dá um jeito. Vejamos:

 

 

Em primeiro lugar algumas informaçõeszinhas sobre o traslado. Partindo do Rio, é um destino de acesso bem fácil. A chamada Via Lagos, em que pese o pesado pedágio, torna a viagem tranquila e até quase monótona, se não fossem, vez e outras, as paisagens que se abrem pelas iluminadas lagoas ao horizonte direito. Andando com relativa calma, em alguma coisa como 2 ou 2:30h chegamos ao destino. Saimos cedo e chegamos cedo, antes do horário de check in do hotel, então fomos direto para o que interessava.

 

Dia 1:

 

Recomendamos que vá direto ao ponto mais nobre da cidade: a Rua das Pedras e à Orla Bardot. O local permite angulos incríveis para fotografias da cidade e da sua paisagem maritima. Parece-nos incansável andar por essa região, parando de bar em bar, tomar um chopp aqui, outro ali. Não perca:

 

A Escultura dos pescadores

 

A famosa escultura da atriz francesa Brigitte Bardot estava em manutenção quando lá estivemos. Além da Bardot, é possível também se deparar com a inusitada escultura do ex-presidente JK, um outro apreciador da cidade. Búzios, como se vê, tem bons apreciadores. Nós, modestamente, nos juntamos aos famosos.

 

Vista do mar da Orla Bardot

 

A beleza não só cansa como também produz fome. Muitos são os bons restaurantes instalados na região da Orla Bardot e Ruas das Pedras. No caso dos primeiros, além da boa culinária, também pagará pela inesquecível paisagem. Já os segundos, você remunerá a boa fama de tudo que se encontra na rua de caminhada difícil. Se quiser boas alternativas com preços mais razoáveis, recomendamos que se afaste um pouco dessa região, mas mantenha-se em suas redondezas. 

 

O comandante checou o vento e chegou a conclusão de que não podia colocar o barco no mar, que pena!

 

Depois do almoço que tal o mar? Há incriveis passeios de barco que saem do cais na altura da Rua das Pedras. São passeios que costumam durar alguma coisa como 2:30h e incluem visitas à algumas ilhas das redondezas, passeio pelas praias da região e, além disso, permitem algmas paradas para mergulho. Infelizmente não costumam sair muito cedo. Quando lá estivemos, o primeiro barco saia às 10:30h. Pareceu-nos mais producente ir ao mar na parte da tarde. Em julho de 2014, cada indivíduo pagava 30 reais pelo passeio. Laura, com seus 5 anos, não pagaria. Esses valores, depois de tantos desacertos na economia, como estariam? Nada que o Dr. Google não possa responder.

 

E o pôr do sol?

 

É claro que convém terminar a noite na Rua das Pedras. Recomendamos o bem transado Chez Michou. Seus crepes são realmente incríveis, o espaço é bastante descolado e animado. O preço, como era de se esperar, tão salgado quanto o mar de Búzios.

 

 

Dia 2:

 

 No dia seguinte a sugestão é uma das inúmeras praias da região. Praias Brava, João Fernandes e do Forno são as mais extremas. Também estão entre as mais procuradas e visitadas. Muito boas, é claro. Para quem está com criança, talvez a boa pedida seja a Praia da Ferradura. Observe no mapa abaixo que a praia se encontra em uma espécie de baía, mais fechada, menos vulneráveis aos ventos fortes que costumam assolar a região. Isso quer dizer que a água é mais parada, com menos ondas, mais conveniente para as crianças.

 

De todas as praias, a da Ferradura, pelas suas condições geográficas, é a mais apropriada para crianças.

 

 

Nossa sugestão, inclusive já pegando o caminho de volta para o Rio de Janeiro, é um pouco mais de praia, só que  na cidade vizinha de Cabo Frio. Em 20 minutos, de carro, estará numa região bastante singular, cujas dunas são sua maior marca.

 

Cabo Frio

 

Mas, quando ir? Eis uma pergunta controvérsa. Sua resposta muito depende de seu perfil. Já fizemos Búzios e adjacências durante o carneval. Tem que estar no pique da animação e, sobretudo, ter paciência para lidar com os ínumeros problemas que surgirão. A começar pela imensa quantidade de gente andando nas ruas, estacionamentos cheios, engarrafamentos por toda parte, filas à dar com o pau e por ai vai. 

 

Sinceramente, achamos que superamos essa fase. Sem críticas para quem curte! Se o viajante for fora de alta temporada, por sua vez, vai ter o prazer de circular por uma cidade mais aprasível. Os preços, pode estar certo, poderão estar ligeiramente melhores também!

 

Acima chamamos a atenção para a estadia. Nós ficamos em uma pousada que, ainda que não esteja no miolo mais antigo da cidade, não está nada distante. Para quem viaja de carro, sem dúvida, é uma alternativa. Os preços e a relação custo-benefício foram boas. 

 

 

Sugestão de estadialaura-no-mundo.webnode.com/news/buzios-pousada-velas-buzios/

 

  


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!