Brasil - Alto Paraíso de Goiás (GO)

Brasil - Alto Paraíso de Goiás (GO)

Matéria

 

Tinhamos visto fotos impressionantes: paisagens lunares, desérticas, paredões incríveis e cascatas frondosas. Foi assim que construimos um imaginário sobre a Região da Chapada dos Veadeiros. Era para lá que queríamos ir. E assim fomos. Nosso local de parada estratégica, de onde partimos para várias incursões nessa imensa região, foi a pacata e exótica cidade de Alto Paraíso de Goiás.

 

 

Alto Paraíso de Goiás está situada no norte do Estado de Goiás, cerca de 220 km de Brasília. Município pequenino, basicamente sustentado pelo fluxo intenso de turistas atraidos pelas belezas naturais da Chapada. Se não fosse o pequeno estresse com relação ao carro que alugamos (queriam nos entregar um modelo diferente do contratado!), poderíamos dizer que o traslado teria sido totalmente tranquilo. Não temos queixas com relação à estrada. Ela se encontra em excelentes condições e, de quebra, não demorou muito para que a paisagem começasse a fazer jus ao imaginário!

 

 

Quem espera uma cidade arrumadinha, como Pirenópolis, no mesmo Estado de Goiás, tire logo o cavalinho da chuva. Na verdade, estivemos diante de uma cidade que visivelmente carece de alguns cuidados. Ela se resume a poucas ruas com uma avenida central que tem em suas calçadas o que de melhor se pode encontrar na cidade: bares e restaurantes. Nada de tirar o fôlego.

 

Rua central de Alto Paraíso de Goiás

 

Diga-se, de imediato, que a cidade pode ser definida como uma combinação de cidade-hippie e cidade dos ETs. Os primeiros, sempre muito simpáticos, tomam ruas e todos os lugares que se pode ir. Há, inclusive, na principal avenida, muitas barraquinhas com artefatos normalmente vendidos para os visitantes "alternativos". De outro lado, há na cidade várias referências à uma suposta presença de ETs na região. 

 

Veja as dificuldades de se conseguir estacionamento!

 

Um dos principais hotéis da cidade fez dessa fama seu principal motivo de decoração: o Chappada Hotel. Mas a vida interplanetária do Alto Paraiso não se resume ao hotel bacana, instalações bem mais modestas também parecem se interessar por esse ramo (vide imagem abaixo).

 

 

Apesar de pequena, a cidade dispõe de mão de obra especializada.

 

De todos os lugares que frequentamos aqueles que nos pareceram mais interessantes foram, respectivamente, a pizzaria nas proximidades da rua central; e a sorveteria de esquina na avenida central, de propriedade de um casal vindo do sul do pais. Do mais, não tivemos a sorte de conhecer atrações interessantes. Recomendamos: não sejam exigentes!

 

Informação turística é com essa simpática moça!

 

Não há dúvida de que a principal razão para se estar em Alto Paraíso seja justamente aquilo que se encontra fora da cidade: nos referimos às diversas trilhas privadas e àquelas situadas no interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Há um vilarejo, de nome São Jorge, que está situado na entrada do Parque Nacional. Caso se instale nele, poderá economizar um pouco mais de combustível. No entanto, parece-nos que a economia pode não valer a pena, uma vez que Alto Paraíso pareceu-nos ligeiramente mais preparada para receber forasteiros, pelo menos há um comércio um pouco mais vigoroso, se comparado à São Jorge.

 

Maiores informações sobre as atrações da Chapada dos Veadeiros? Acesse aqui: laura-no-mundo.webnode.com/products/chapada-dos-viadeiros-goias/

 

Se o relato sobre Alto Paraíso que fizemos acima, com todas as restrições apontadas, não te animou muito, imaginem o que se pode esperar de São Jorge? De todo modo, cabe logo uma ressalva: tudo depende, é lógico, de suas expectativas e interesses. Se você quer se misturar com a galera mais alternativa - sendo você mesmo alguma coisa que se possa chamar de "alternativo" - não vacile, pique mula para São Jorge! O que é ponto pacífico é que ninguém vai para essa região somente para comprar bijuterias e ver ETs, o negócio tem a ver com as incríveis trilhas e paisagens que a Chapada oferece!

 

E quando ir? Duas informações são importantes: inverno é seco; verão é tempo de chuvas. E dai? E dai que você está no cerrado. A existência de chuvas pode fazer boa dose de diferença, sobretudo para a vigor das cachoeiras. Por exemplo, fizemos uma longa trilha e ao longo do caminho só nos deparamos com cachoeiras secas (ou melhor, rochas sem qualquer vestígio de água). Não lamentamos apenas não ver a queda d`água, mas especialmente não poder te enchido garrafas e ter bebido algo. Depois de 3 horas de caminhada no cerrado, meus caros, seu corpo começa a raciocinar em outros termos, pode acreditar. 

 

Aqui jaz uma cachoeira (fez falta!)

 

Como ir? Em nossa opinião, a melhor forma de tanto ir quanto de se locomover na região envolve o uso de veículo particular. Nesse caso, não indo com seu próprio carro, alugue um carro. Nós chegamos no Aeroporto JK e ali mesmo alugamos um carro. Viajar com carro alugado tem altos e baixos. No geral, podemos dizer que o saldo é positivo. Em nosso caso foi, mas registramos também alguns problemas sobre  os quais tratamos a seguir.

 

O bravo Ford KA

 

 Eles começaram a se sentir na hora em que fomos apanhar o carro há meses reservado. Tínhamos uma única exigência: que fosse um carro sedan, pois assim achamos que nossas bagagens e nós mesmos estaríamos melhores acomodados. Depois de uma busca em que se considerou o melhor custo/benefício chegamos a locadora Karper. Chegamos no aeroporto JK, em Brasília, e lá procuramos por um guiché da empresa que inexistia. Ao entrar em contato por telefone, fomos informado que um carro nos apanharia no aeroporto. Assim aconteceu. Logo que o funcionário chegou imediatamente nos informou que o carro que tinhamos solicitado reserva inexistia. Visilvemente havia ocorrido o chamado overbooking. A solução foi a seguinte: a Karper nos encaminharia para uma outra empresa locadora de veículos e manteria o contrato estabelecido conosco. Os problemas, na verdade, começaram ai.Quando chegamos lá o carro oferecido não batia com o que exigíamos. Era um Ford KA Hatch. Batemos pé firme e exigimos um carro com as condições definidas em nosso contrato. Acontece que na tabela da nova empresa - de nome Movida - este veículo tinha uma classificação distinta da Karper. Significa dizer que o preço não era também o mesmo. Karper, então, se comprometeu em bancar a diferença e assim foi. Saimos com o Ford KA Sedan, conforme havíamos planejado. Mas veja que isto consumiu tempo e produziu alguma dor de cabeça.

 

Onde ficar? Indo ao ponto, nós nos instalamos no Hostel Catavento.Temos alguma boa experiências com albergues, sobretudo no exterior. Passamos por essa modalidade de estadia em Barcelona, Marselha, Viena, Amsterdam, Bruxelas e Londres. Até então as experiências mais complicadas foram em Amsterdam e Londres, nada, contudo, que desabonasse de todo as nossas estadias.Catavento é um albergue da rede internacional, Hosteling International. Isso faz supor que ele está mais ou menos no mesmo patamar dos demais. Infelizmente não é o que ocorre.

 

 

Em primeiro lugar, gostariamos de comentar a excelente conduta de todos que ali trabalham. São pessoas para lá de simpáticas, movidas pelo bom afeto, dispostas a nos ajudar sempre. O ambiente é, nesse sentido, muitíssimo acolhedor. Seus problemas estão situados na visível falta de estrutura. A área até que é grande: há uma piscina que nos pareceu bem cuidada, sauna, espaço para camping, uma ampla e bela área de lazer e convívio. Os problemas pareceram estar concentrados nos quartos. Eles são quentes e mal-ventilados. O banheiro beira a falta de condição de uso. Tivemos alguns episódios de entupimento e retorno de água suja e mal cheirosa. Ao comunicarmos o problema, providências foram tomadas e, ao que tudo indica, esse problema foi resolvido. Mas há problemas estruturais: não há boxe, mas apenas uma cortina sem qualquer anteparo inferior para reter a água. Desse modo, basta a primeira pessoa tomar banho que logo o banheiro é tomado pela água. Ao rodar a cidade fomos capazes de ver que havia outras opções bastante interessantes - ainda que o preço não fosse exatamente interessante. Uma delas, comentada acima, é o Chappada Hotel. Este se encontra situado em uma das praças centrais da cidade de Alto Paraíso.