Swiss Travel Pass e os trens na Suiça

02/01/2016 11:38

 

Vamos começar pelo último item: trens na Suiça. O que dizer sobre eles? Seguindo o padrão europeu, estamos diante de uma rede ferroviária modelar. Dizem que é, nacionalmente falando, a mais completa do Velho Continente e do mundo. Os trens são modernos e, se não novos, muito bem cuidados.

 

Estação de trem de Zurich

 

Se pode chegar a qualquer lugar do pais por seu intermédio. Mais do que funcionalidade, essa rede descortina um pais belíssimo, de anglos e paisagens surpreendentes.

 

De Lucerna à Interlaken 

 

A cada curva uma surpresa, uma paisagem única, uma beleza que registramos para sempre em nossa memória.

 

Nas proximidades de Interlaken

 

Os pontos de embarque e desembarque, isto é, as estações de trem são, como regra, também interessantíssimas. Há de tudo: desde aquelas mais modestas e pequenas até as imensas e luxuosas.

 

Estação de trem de Lausanne.

 

 Há também estações modernas, de aço e vidro; até estações ao estilo século 19. Cada uma delas tem seu encanto, mas precisamos admitir: as últimas nos encantam um pouco mais.

 

Na estação de Fribourg

 

Como já comentamos em outras oportunidades, viajar de trem pela Europa, sob o ponto de vista econômico, quase sempre não é a melhor alternativa. Isto porque a concorrência com os ônibus é dura. Os veículos automotores tem ganho fatias generosas do mercado da locomoção, graças à prática de melhores preços. Não à toa o ônibus tem ganho, cada vez mais, o coração dos europeus. Há quem fale em crise em algumas importantes companhias ferroviárias, como a alemã.

 

De Fluelen para Bellinzona

 

As vantagens dos trens são, contudo, visíveis: em primeiro lugar pela velocidade da viagem. os trens mais velozes fazem mais de 300 km por hora, o que garante um traslado rápido e seguro. É também seguro porque estamos menos sujeitos às indisposições do clima, sobretudo chuvas fortes e neve. Para quem costuma viajar pelo continente quase sempre durante o inverno - como é o nosso caso - está ai uma qualidade que não desprezamos.

 

Quais artifícios podemos usar para baratear esses custos de viagem quando se trata de trem? Já enfrentamos essa pergunta também em outra oportunidade: Acesse aqui (laura-no-mundo.webnode.com/news/de-trem-pelo-leste-europeu/) e compreenda como conseguimos quase sempre excelentes preços na compra de bilhetes de trem pelo Velho Continente, inclusive pela Suiça!

 

 

Vale à pena dispender uma grana em passe de trem? Depende do uso e circunstâncias, é claro. Há anos atrás fizemos uso do Europass e fizemos valer à pena. Naquela época, além de juventude e fôlego, tinhamos uma cotação de dolar que muito nos favoreceu na compra do passe.

 

Hoje não podemos dizer o mesmo. Sob esse novo cenário, o que podemos dizer com relação ao Swiss Travel Pass? Um passe cotado em francos suiços!

 

A pequena estação de trem da também pequena Fluelen

 

Diríamos o seguinte: tivemos a impressão de que havendo disciplina e roteiro costuradíssimo, o melhor é não adquirí-lo. Neste caso, é preciso que o viajante tenha paciência em lidar com o confuso site da SBB (companhia férrea suiça) e fazer as compras de bilhetes no momento certo (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/os-desafios-no-uso-do-site-da-companhia-ferroviaria-suica-a-sbb/). Uma rápida consulta dias antes do embarque nos trens suiços revelou que, pelo menos para alguns destinos domésticos, os preços dos bilhetes de trem eram melhores do que o preço global do passe.

 

Estação de trem de Lugano

 

Quanto custa o passe? Vejam aquiwww.swisstravelsystem.com/en/passes/swiss-travel-pass.html

 

Como se pode ver os preços não são nada modestos. O que ganhamos com o seu uso? Em primeiro lugar cabe o registro de que fomos em família. Isso quer dizer que a nossa filha, Laura, não teve que adquirir passe, pois esteve coberta pelo nosso. Sendo assim, tivemos que colocar no papel dois passes. Escolhemos a modalidade "dias intermitentes", que custa um pouco mais barato. "Segunda classe", obviamente, uma vez que a diferença entre classes nos trens é absolutamente irrelevante.

 

Sempre carregamos poucas coisas!

 

O melhor de tudo, com o passe, é a liberdade. Podemos entrar e sair de qualquer veículo de transporte público quantas vezes quiseremos durante a vigência do passe. Isto inclui trens regionais, ônibus e trams locais e barcos. Caso seja seu plano o uso massivo dos meios de transporte, com liberdade de ida e vinda, não resta dúvida de que o passe deverá ser considerado.

 

Nas estações mais altas é preciso "dentar" a linha do trem!

 

Por exemplo, em 3 dias, a partir de Lucerna, visitamos Interlaken, Lauterbrunnen, Berna, Frigourg, Lausanne. Além disso, às custas do passe, fizemos o percurso do Whilhem Tell Express (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/suica-o-whilhem-tell-express/). Uma viagem que se inicia em Lucerna, a partir do porto, segue até o final do lago Lucerna, na cidade de Fluelen; daí seguimos de trem até extremo sul da Suiça, em Lugano. Caso queira fazer este mesmo percurso em primeira classe no barco e embarcar em trem panorâmico pelos alpes, terás que pagar um adicional. Nossa opção foi segunda classe no barco e trem comum até Lugano. Tudo incluido no passe. 

 

De Lauterbrunnen à Interlaken

 

Pensando bem, dada a liberdade de deslocamento e a quantidade de embarques e desembarques que fizemos, penso que realmente fizemos valer nosso investimento no Swiss Travel Pass

 

Para que você, viajante, responda à esta pergunta, portanto, é preciso que aquilate a dimensão de sua viagem, bem como as características que você imagina que ela tenha que ter (se mais simples ou luxuosa, por exemplo).

 

E boa viagem! 

 

Leia mais:

 

Londres-Edimburgo de tremlaura-no-mundo.webnode.com/news/londres-edimburgo-de-trem/

 

Trem pela Europa: prós e contraslaura-no-mundo.webnode.com/news/trem-pela-europa-pros-e-contras/

 

A hora H de comprar passagens de trem pela Europalaura-no-mundo.webnode.com/news/a-hora-h-para-comprar-passagens-de-trem-na-europa/

 

As mais belas viagens de trem pela Europalaura-no-mundo.webnode.com/news/as-mais-bonitas-viagens-de-trem-pela-europa/