Suiça: quais os perrengues mais comuns?

03/01/2016 07:13

 

Parece impróprio falar de perrengue em um pais como a Suiça. Afinal, ele tem fama de tudo funcionar e bem funcionar! Parece-nos que a fama é justa, mas não sejamos ingênuos, há alguns probleminhas, sobretudo para quem parte de terras brasileiras. Vejamos:

 

1) Primeiro problema que vivemos com relação à Suiça se deu antes mesmo de lá chegarmos. Referimo-nos ao site da companhia SBB de trens. Temos boa experiência com compra e uso de sites das companhias nacionais européias. Até então o mais complicado que conheciamos era o site da companhia húngara. Mas precisamos confessar, o site da SBB bateu o recorde. Para maiores detalhes clique aqui

 

 

2) O segundo problema, quase óbvio, é o custo de vida por lá. Já tinhamos frequentado outras cidades reconhecidas pelos preços pouco amistosos, como Londres e Paris. As cidades suiças bateram todos os recordes! Para que tenham uma ideia, um lanche comum no Burger King para dois adultos e uma criança saiu, em dezembro de 2015, por 35 francos suiços (façam as contas com a cotação do dia!). Não se enganem, a despeito do franço suiço ter uma cotação - na relação com o real - um pouquinho mais favorável, se comparada ao euro, a vantagem comparativa cai por terra, pois o pais tem um nível sócio-econômico tão alto que os preços acabam por acompanhar a demanda qualificada. Falamos desde restaurantes até passeios e tudo mais. Imaginamos que uma família que queira frenquentar restaurantes, usufruir dos meios de transporte (sem Swiss Travel Pass) e frequentar atrações como museus e parques, terá que desembolsar alguma coisa como 400 francos diários. O conhecido site Quanto Custa Viajar (quantocustaviajar.com/), nos fala em alguma coisa como 346 reais de gasto diário para Zurich (uma das mais caras cidades do mundo)! Certamente foram generosos, para não dizer descuidados. Obviamente não gastamos 400 francos diários, mas também não foi 346 reais por dia. Qual a dica? Usem restaurantes com moderação. Deem preferências aos supermercados, pois a diferença entre os preços praticados no supermercado e nos restaurantes é do tamanho do mundo! 

 

Chocolates: uma tentação de fazer doer o bolso!

 

Na prática, fizemos muitas compras nos restaurante locais, sobretudo para lanches noturnos. Uma economia que pode ser revertida em mais atrações e visitas.

 

3) Se for visitar o pais durante o inverno é redundante dizer que precisa estar preparado para o frio, sobretudo para as mudanças repentinas no clima. Em um mesmo instante você vê o céu azul ser substituido por ruas com neblina densa e baixíssima temperatura. A dica é levem à sério as previsões metereológicas para o dia. Antes de sair do hotel não deixem de consultar as principais fontes de informação sobre o assunto (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/previs%C3%A3o-do-tempo%3a-em-quem-confiar-/)

 

Em Zurich, rapidamente o céu azul foi dando lugar à névoa densa

 

Em Zurich: aproveitem as (poucas) atrações gratuitas!

 

Cansaço? Ahhh isso faz parte!

 

Sem mais, estamos diante de um pais em que o turista, praticamente, encontra garantias para realizar um turismo de altíssima qualidade.

 

Leia mais:

 

 

O Swiss Travel Pass e os trens na Suiça

 

Roteiros para Suiça em nossos Destinos