Só fala português? Como é que fica?

21/09/2014 13:43

 

Em 1998 estávamos em um trem em solo francês. Ao nosso lado, um jovem australiano que nos observava atentamente. Certa hora, o sujeito nos interrompeu. Ele não resistiu, precisava matar sua inquieta curiosidade: "Que língua vocês estão falando?" - perguntou. Dissemos: "português". Por um instante ficou quieto, como se pensando e então disse: "pensei que fosse um dialeto italiano"

 

Uma experiência como essas, em parte, responde a pergunta acima: como é que fica? Bem, ao que tudo indica, falamos alguma coisa muito próxima de um código secreto. Caso não fale inglês, ou a língua natal do pais para o qual se dirige, as chances de você ser compreendido são de fato remotas. 

 

Como já discutimos em outra ocasião, à medida que nos dirigimos mais para o leste da Europa, mais esse problema se impõe. Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/taxi-para-auschwitz-conversa-entre-loucos1/.

 

O tempo em que estivemos na França, por duas vezes nos perguntaram se falávamos romeno! Mesmo na Espanha, cuja língua é muito mais próxima à nossa, não se enganem, terás dificuldade de bem compreender os espanhóis e estes a ti, talvez, por razões linguísticas, os espanhóis revelem mais dificuldade de nos compreender do que nós a eles.

 

 

É claro que em cidades maiores e cosmopolitas, como Paris, Berlim, Madri, Barcelona, Roma e outras, o inglês é comumente falado, sobretudo entre os mais jovens. Alguns paises, como Holanda, a língua inglesa é praticamente uma segunda língua, todos praticamente falam e bem compreendem. Em cidades menores, ou no interior dos paises, muito provavelmente encontrará mais dificuldade em encontrar falantes da língua inglesa. Quando andamos pelo interior da Alemanha, sobretudo em sua face oriental, tivemos muitas dificuldades. Mesmo no hotel, pasmem, a atendente não falava inglês!

 

Em nossa primeira visita ao leste-europeu, há muitos anos atrás, a coisa não foi muito diferente. Como, além do inglês, falamos e compreendemos razoavelmente bem a língua francesa, foi possível contar, sobretudo entre os mais velhos, com boa ajuda em horas importantes. Mais recentemente, no final de 2014, quando estivemos em países como República Tcheca, Áustria e Hungria, pudemos perceber que a língua inglesa havia - como era de se esperar - se disseminado bastante entre a população em geral. Na Áustria todos com quem lidamos falavam inglês. Maior dificuldade, gradualmente, foi registrada entre os tchecos e, sobretudo, húngaros.

 

Em países em que o inglês é a língua natal, a depender do nível de seu inglês, poderás ainda enfrentar algumas dificuldades. Em outra ocasião comentamos sobre as dificuldades com os taxistas etiopianos em Washington (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/washington%3a-quais-s%C3%A3o-os-perrengues-mais-comuns-/). Na Inglaterra, problema semelhantes poderão enfrentar com o típico sotaque dos indianos.

 

Mas, enfim, é possível viajar sem falar alguma língua estrangeira? Claro que sim. Não é exagero supor, no entanto que vá enfrentar algum tipo de dificuldade em algum momento de sua viagem: seja no transporte, na alimentação, ou uma eventual queixa ou necessidade de conversa no hotel. Em situações em que precise de orientação, como perdido ou à procura de um destino etc, não tenha dúvida de que a dificuldade com a língua irá atrapalhar bastante.

 

Não acreditamos, contudo, que isso seja motivo para desistir de uma viagem. Programe-se, aproveite a oportunidade para conhecer um pouco do idioma, algumas palavras e expressões básicas. E boa sorte. é claro!

 

Acesse nossos destinoslaura-no-mundo.webnode.com/roteiros-de-viagem/