Santiago do Chile: aeroporto ao Centro

29/10/2014 09:11

 

O Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Benitez é o ponto de entrada da imensa parte dos brasileiros que chegam à capital chilena. Como ocorre tradicionalmente com os aeroportos em todo lugar, Arturo Benitez está bastante longe do centro da cidade de Santiago. Logo, então, surge a questão do deslocamento para o hotel: taxi ou transporte público?

 

 

Para aqueles que não se importam com custos de viagem - ou que portem bagagem demasiadamente pesada - há empresas que fazem o chamado transfer. Você poderá acioná-las diretamente do Brasil (veja:www.aeropuertosantiago.cl/) ou então poderá negociar seu transporte no local. Muitas são as ofertas e variedade de preços. Aliás, logo à saída do desembarque serás abordado por pessoas que representam algumas empresas ou tem taxis particulares. A política deles é a do medo: "vai para Santiago? Com criança? Cuidado! Venha conosco". Os preços giram em torno de 7 mil pesos por pessoa. Podem ser maiores casos queiram um carro exclusivo, e não compartilhado com outros passageiros.

 

De acordo com os contatos que fizemos ainda no Brasil, nosso traslado sairia por 20 a 22 mil pesos. 

 

Pois então resolvemos fazer do nosso jeito, aliás, como habitualmente fazemos. Fomos conferir o transporte público e garantimos que as condições são excelentes. Ao sair do desembarque, se dirija para sua direita e siga até a saída 5. Logo verá um ônibus de turismo estacionado. Há duas companhias que fazem o translado: a Tur-Bus e a Centropuerto. Por 1.500 pesos seguimos, confortavelmente, até a Estação de metrô mais próxima.

 

O valor da tarifa de metro depende do horário de seu embarque

 

 

Ali embarcamos na linha vermelha do metrô de Santiago e seguimos em direção ao bairro de Providência, um pouco depois do centro da cidade. Descemos na estação Los Leones. Pagamos por duas passagens de metrô 1.280 pesos. Laura, com 5 anos de idade, nao paga transporte público. Isso quer dizer que gastamos com o traslado 4.280 pesos. Menos de um 1/4 do preço que gastariamos se abdicássemos do transporte público!  E fizemos o percurso sem custo, digamos, moral, pois foi bem tranquilo e agradável.

 

 

Recomendamos!