Planejamos, mas.... não deu!

14/02/2018 14:22

 

Não pode haver coisa mais frustrante do que você pesquisar roteiro, identificar pontos de interesse, preparar tudo e na hora H, por alguma razão, o processo não se completar. Precisamos reconhecer: quem viaja estará sempre sujeito a esse tipo de contratempo que, de tal modo vigoroso, nos obriga a mudar planos.

 

Não temos muitas dúvidas de que o mais importante deles foi aquele que nos atingiu no Reino Unido no início de 2014. Após sofrer um acidente (detalhes aqui), Laura estava sob controle e em condições de, com segurança, mantermos nossa viagem. E assim seguimos de Londres para a Escócia. Primeira parada: Edimburgo! Uma cidade ímpar e maravilhosa. Bem diferente dela é Glasgow, cidade moderna que muito despertava nossa atenção. Estavámos ali há algumas horas de ônibus e não pudemos pisar os pés em Glasgow. Acontece que um fenômeno meteorológico relativamente raro atingiu o Reino Unido. Chuvas fortes e persistentes tomaram toda a ilha. Em algumas áreas a situação já era de emergência. Por alguma razão, Edimburgo, onde estávamos, era relativamente poupada. Mas os avisos eram insistentes: não peguem estrada! Desistimos, obviamente, com muita frustração. A posição geográfica da Escócia é tal que não vemos, por enquanto, sentido em fazer uma visita a Glasgow tão cedo.

 

Um dos poucos dias de sol em Londres naquele inverno de 2014

 

Junto com o Reino Unido, nossa segunda maior frustração se deu no Uruguai. Nesse caso, nada de fenômeno metereológico não, mas a pura ação humana mesmo. Estávamos em Montevidéu, alugamos um carro, um mês antes de barcar, como poderia dar errado? Mas deu. O carro simplesmente não foi entregue e deixamos de ir à Punta del Este. Vejam os insórdidos detalhes aqui.

 

 

Perdemos carro para Punte del Este, mas - às pressas - alugamos para ir à Colônia do Sacramento.

 

Enfrentamos outros contratempos em outras viagens que, anos depois, corrigiríamos. Um deles foi nossa partida de Viena, rumo a Frankfurt e depois Berlim. Todo esse percurso foi marcado por problemas. O primeiro deles foi o cancelamento do trem que partiria de Viena para Frankfurt bem cedo. Por alguma razão o trem desapareceu do timetable e não encontramos nenhuma explicação razoável. Partimos em outro trem que sequer estava claro se nos serviria. Mas deu certo. Ao chegarmos à Berlim, a ideia era passar um dia (um bate-volta) e depois pegar o rumo de Amsterdam. O trem que partiria no final da noite de Berlim para Amsterdam também desapareceu! Só havia um que saia rumo à capital da Holanda por volta das 14 horas do mesmo dia. O resultado foi que acabou com a nossa rápida, mas bem costurada visita à Berlim. Corrigimos tudo isso recentemente, quando visitamos tanto Frankfurt quanto Berlim por alguns dias.

 

Voltaríamos à berlim mais recentemente, janeiro de 2017

 

Por fim, voltando ao terreno dos problemas meteorológicos, em outubro de 2012 estávamos em Washington, Estados Unidos. Cerca de uma semana depois de nossa chegada começou uma história de furação. E ele veio, cerca de 10 dias depois. Estava mais ou menos na agenda um pulo em Nova Iorque. Mas, francamente, tomamos a decisão certa. Sandy, como ficou conhecido, varreu Nova Iorque, inundações e toda sorte de confusão veio com ele. 

 

 

Outono em Washington, e a tempestade já se aproximava

Outubro de 2012.

 

Mas, sem dúvida, a pior experiência da séria foi o planejamento de uma cuidadosa viagem à Andaluzia espanhola e Marrocos. Tudo certo, arrumadinho, contagem de dias e ....uma internação de um familiar muitíssimo próximo alterou todos os planos. A delicadeza do quadro foi tal que achamos por bem cancelar a viagem. O cancelamento foi um aprendizado que registramos em matéria especifica sobre o assunto (para saber mais clique aqui)

 

 

Nós planejamos, é claro, mas não podemos combinar tudo com essa misteriosa coisa que é a vida!