Os desafios no uso do site da companhia ferroviária suiça: a SBB

31/10/2015 08:33

 

A Suiça é conhecida mundialmente pela precisão, organização e qualidade de vida. Uma fama tão sólida como esta lança imensas expectativas quanto os serviços prestados pelos suiços, certo? Infelizmente já temos elementos para dizer que, pelo menos no que tange à compra de passagens de trem no país, a fama não é merecida. Vejamos:

 

Há cerca de cinco anos viajamos, ininterruptamente, para a Europa, sempre chegando no final do outono ou início do inverno. Nesse período ocorre, em todo o Velho Continente, uma mudança no calendário das ferroviais nacionais. Em geral, entre os dias 10 e 15 de dezembro se inicia o timetable do ano seguinte. Esse processo costuma atrasar a liberação de passagens à venda. Foi assim em todas as viagens que fizemos.

 

Estação ferroviária de Frankfurt, Alemanhã, dezembro de 2014.

 

Até então, a mais problemática foi a companhia húngara MAV que somente algumas semanas antes de nosso embarque liberou passagens para venda. O site da MAV também não pode ser reconhecido como um dos mais amigáveis. Em extremo oposto, o site e a companhia férra alemã DB revelou-se o mais organizado e de fácil transação entre aqueeles que tivemos oportunidade de fazer negócio.

 

O velho trem da MAV

 

Pois é, é agora que entra a Suiça. O site da companhia ferroviária suiça (SBB) bateu o recorde de confusão. À primeira vista se trata de um site de fácil manejo. Disponível em 4 línguas (inglês, francês, italiano e alemão), ele tem uma interface que parece amigável, exceto pelo fato de, na entrada, não existir a possibilidade de marcarmos a quantidade de bilhetes que queremos. Mas até ai tudo bem, mas fazemos isto cerca de 3 telas depois!.

 

Página inicial da SBB

 

As coisas começam a complicar paradoxalmente quando você o utiliza. Você preenche as cidades de saída e chegada, data, horário e vamos em frente! O resultado é a tela abaixo. Ela indica valores dos bilhetes. Maravilha! É só escolher aquele mais em conta, certo?

 

Segunda tela

 

Daí em diante o usuário só poderá avançar caso faça seu registro e login no site da companhia. Escolha a passagem e corra para o abraço, certo? Não, depois de tudo isso o sistema te informará que as passagens ainda não estão à venda! Ou seja, o sistema te obriga à tudo isso para depois te informar que é impossível vender bilhetes. Uma pérola da engenharia de sites!

 

Até ai tratamos de viagens nacionais, isto é, origens e destinos de cidades suiças. Vejamos agora como é sair da Suiça para um outro pais. Nesse caso, a Itália. Fizemos então a busca de saída de Lugano, no extremo sul da Suiça, para Milão, cidade do norte italiana. 

 

Segunda tela para compra de bilhetes para sair da Suiça.

 

Observem que a segunda tela (foto acima) não traz valores dos bilhetes. Mas eles aparecerão lá pelo meio da transação, o que significa dizer que, para fazer comparação da melhor tarifa, somos obrigados a entrar em cada um deles, um por um, e fazer boa parte do processo de compra! Seria possível algo mais inteligente? Acha pouco?

 

 

Observe, ainda, no topo, em azul, a quantidade de passos a partir da segunda tela: Há a possibilidade de, ao final desse percurso, você ser informado que o bilhete escolhido não está disponível!

 

O fato é que há cerca de um mês de nosso embarque para a Suiça e Itália, já acertamos todo nosso traslado na Itália. O site do pais vizinho é relativamente simples e eficiente. Bilhetes impressos em casa, como tinha de ser. Bem, com relação à Suiça, por enquanto apenas a fama ....

 

Matérias relacionadas:

 

Últimos passos de um roteiro: Suiça e Itálialaura-no-mundo.webnode.com/news/ultimos-passos-de-um-roteiro-suica-e-italia/

 

Experiências com trem na leste-europeulaura-no-mundo.webnode.com/news/de-trem-pelo-leste-europeu/