O Muro de Berlim: pontos de visita mais interessantes

30/12/2014 07:27

 

Criado no auge da Guerra Fria, em 1961, o Muro de Berlim (Berliner Mauer) dividiu vidas e uma cidade inteira. Por esta razão Berlim permaneceu até 1989 partida ao meio. Não é uma coisa fácil de compreender como em uma madrugada de agosto tudo mudaria tão rápido. Algum gênio resolver decidir por todos e assim separou a cidade entre um lado capitalista e outro comunista. Intercâmbio entre ambas as partes passou a ser objeto de controle do Estado. Famílias foram separadas e muitas pessoas só passariam a se reencontrar após a queda do muro, décadas depois.

 

 

O muro é, no entanto, um ícone mais do que da cidade de Berlim ou da Alemanha, é o símbolo de uma fase da história mundial. Seus 155 quilômetros de extensão representaram a construção de uma nova época, bem como sua queda a de outra, repleta de desafios, é claro. Afinal, não se juntaria facilmente o que havia passado tantos anos separado. O processo de unificação, portanto, foi difícil e lento. De todo modo, o capitalismo passou a imperar em ambas as partes.

 

Hoje o Muro faz parte do roteiro turístico de todos que visitam a cidade de Berlim. Não foi diferente conosco em nossa visita em dezembro de 2014. Nossa sugestão é que comece pelo Portão de Brandemburgo, outra visita obrigatória na cidade. Dali, desça em direção à Potsdamerplatz. A caminhada é pequena, mas caso não queiram andar, há na praça uma estação de metrô de mesmo nome. Dali se tem acesso aos primeiros vestígios mais expressivos do Muro, inclusive ao Chekpoint Charlie, um dos pontos de controle e passagem entre Alemanha Ocidental e Oriental.

 

O East Side Gallery

 

Nas redondezas do Checkpoint Charlie há uma estação de metro (U Kochstr). Dela siga preferencialmente de metrô para a East Side Gallery. O caminho é o seguinte: U6, estação Kochtr, direção Alt-Mariendorf. Descer estação Hallesches, pegar linha verde U1, direção Warschauer, descer no final e pegar linha S5, direção Spandau, descer na estação seguinte, Ostbahnhof. Seguir em direção ao Rio Spree.

 

 

Acima o Checkpoint Charlie

 

Essa é uma parte da cidade que reune mais do que pedaços do Muro, verdadeiras obras de arte feitas nele!

 

Para que tenham uma ideia, esse percurso rendeu um dia inteiro, pois metrô deve ser usado sempre com economia. O bacana está na superfície!

 

Uma das pinturas mais conhecidas no East Side Gallery, o beijo entre o líder soviético Leonid Brezhnev e o presidente comunista alemão Erich Honecker.