Museu do Louvre: o que mais nos impressionou?

06/07/2015 18:00

 

Ele é o museu mais visitado do mundo! Suas longas filas e o volume de gente a circular dão um pouco a medida do que é esse museu dos museus. Estivemos nele por duas ocasiões e, à cada visita, uma surpresa. Os mais detalhistas - ou que queiram ter um acesso mais cuidadoso a todo seu acervo - muito provavelmente precisarão de alguma coisa como uma semana em seus corredores e salas (levem lanche!).

 

 

Se o visitante, contudo, for mais objetivo naquilo que, de fato, interessa, poderá fazer, é claro, uma visita mais enxuta. 

 

Em nossa primeira visita fizemos aquele percurso exploratório, permitimos circular à vontade, olhando o que merecia a atenção de nossos olhos. Na segunda visita, anos depois, já preferimos focar em algumas coisas que nos interessavam um pouco mais, digamos, delicadamente. 

 

A famosa Mona Lisa

 

Precisamos confessar que essa segunda visita foi um pouquinho ambígua. Num primeiro momento Laura, à época com 3 anos de idade, se divertiu muito com o que viu. Mas bastou chegar na parte das esculturas africanas e de diferentes povos do pacífico que o terror tomou seus olhos. Fora esse pequeno detalhe, foi tudo muitíssimo interessante. Mas de tudo que vemos, o que mais nos surpreendeu?

Por incrível que pareça não é uma pergunta difícil. Não pensem que foi a Mona Lisa. Pelo contrário, ela até decepciona. Somente uma investida dura de marketing para fazer com que uma sala fique lotada de gente, a se cotovelar, para ver aquele pequeno quadro parede.

 

A coleção do Egito antigo, sem dúvida, impressiona. Mas, de alguma forma, não surpreende, pois já sabíamos de sua grandeza e importância.

 

A cena foi a seguinte: andávamos sem expectativas do que viria em seguida e, de repente, aquela imensa pedra negra!

 

Sim, foi o Código de Hamurabi a coisa mais impressionante que vimos no Museu do Louvre! Um conjunto de leis registradas em pedra, de nada mais nada menos que 1.700 A.C. A peça tem mais de 2 metros de altura! Parecia tão pequena nos livros didáticos! Ficamos por ali por algum tempo, observando seus detalhes e, ao mesmo tempo, a sua grandeza. Uma pedra repleta de significado histórico e, com alguma ironia, com ideias que ainda habitam o dito mundo civilizado. Quem nunca ouviu hoje o tal do dente por dente? 

 

Matérias relacionadas:

 

Sugestão de roteiro para Parislaura-no-mundo.webnode.com/products/paris-em-cinco-dias/

 

Estadialaura-no-mundo.webnode.com/news/aluguel-de-apartamento-usando-o-rentparis-com/

 

Problemaslaura-no-mundo.webnode.com/news/paris%3a-quais-s%C3%A3o-os-perrengues-mais-comuns-/