Holanda: quais os perrengues mais comuns?

05/02/2017 15:22

 

É preciso dizer que "perrengue" não é uma palavra que de todo se aplique à Holanda. Em nossa opinião, estamos diante de um pais que se pode ter turismo de altíssima qualidade. As coisas costumam funcionar e ponto. Mas é preciso, ao mesmo tempo, chamar a atenção para pequenas coisas que, caso não se tenha atenção, poderão ganhar contornos de perrengue. Vamos lá:

 

As ruas de Amsterdam

 

A Holanda, especialmente Amsterdam, é conhecida pela liberdade, sobretudo no uso de drogas que são consideradas ilegais no Brasil. Além das drogas e também do sexo, o mar de bicicletas configura a paisagem esteriotipada do pais. Não é um estereótipo desapegado da realidade e, assim sendo, produz consequências para os visitantes.

 

 

 

1) A primeira coisa que qualquer visitante deve ter atenção é para o tráfego de bicicletas, em primeiro lugar; e de carro, em segundo. Verás que nem sempre os ciclistas são gentis com os pedestres. Há, como norma, a ideia de que eles são prioridade. E sabendo disso os caras pedalam firme! Ainda que não tenhamos sido testemunhas de qualquer acidente sério - mas apenas pequenos atropelamentos - tivemos a impressão de que atropelamento de bike deve ser uma causa relativamente importante no hall dos acidentes em Amsterdam. 

 

 

Esse é uma questão que o visitante deve mesmo levar muito à sério. Em caso de companhia de crianças, não é muito que você a tenha em mãos no momento de atravessar a rua. 

 

2) Nos primeiros dias em Amsterdam achamos curioso o cheiro do fumo, dos mais diversos, mas sempre fortes. Ande pelas ruas da cidade velha e, quando menos imaginar, seus sentidos serão tomados pela fumaça que toma certas ruas da cidade. Depois de alguns dias poderá ser menos encantador essas sensações. Se não é chegado à fumo, certamente. Nada que se possa configurar como um "perrengue", mas uma pequenina apurrinhação.

 

 

3) Se pretende visitar outras cidades do pais não deixe de atentar para o que vamos dizer: tenha cuidado com Muiden. Não, não há nada de errado com o destino. A pequenina cidade é uma gracinha. O castelo - Muiderslot - é uma belíssima atração. Acontece que lemos em um blog de outro viajante crônico que o acesso seria muitíssimo tranquilo. Acontece que não foi. Aqui entramos em maiores detalheslaura-no-mundo.webnode.com/products/holanda-muiden/

 

O Muiderslot, em Muiden

 

4) Por fim, chamamos a atenção para o confuso sistema de transporte da cidade de Amsterdam. Pra início de conversa, se comparado a outras cidades, o transporte público não é exatamente barato. Mas há um outro problema um tanto complicado quanto: há diversas formas de comprar os serviços de transporte. Não há uma única empresa que presta os diferentes serviços na cidade: trams, metrô e ônibus. Um cartão que serve para um, não serve para outro e vice-versa. É verdade que é possível adquirir um cartão especial que permite circular nas diversas empresas, mas ai nos deparamos - mais seriamente - com o problema mencionado inicialmente: o preço. 

 

 

Uma possível solução são os sempre úteis pés! Em Amsterdam e outras cidades do pais isso é inteiramente possível. Como regra as principais atrações estão localizadas em um raio que permite caminhadas, às vezes boas caminhadas, mas viáveis antes de tudo. Se andar não for um problema, vá em frente. Além de economizar, se tem a incível vantagem de melhor conhecer a cidade, coisa que por intermédio, por exemplo, do metrô não é possível.

 

Matérias relacionadas:

 

Roteiro para Amsterdam

 

Roteiro para Haarlem