Chapada dos Veadeiros (GO): quais os perrengues mais comuns?

06/08/2015 07:45

 

Estamos falando de uma área de mais de 20 mil km2, situada no centro do Brasil. Paisagens exuberantes marcam o caminho de quem se dirige para a Chapada dos Veadeiros partindo de Brasília (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/viagem-com-carro-alugado-em-goias/). A estrada pode ser classificada como muito boa, ela não está, portanto, entre as queixas de quem se dirige à região. É claro que há pequenas estradas secundárias que dão acesso à trilhas e atrações da Chapada, estas são de terra batida e podem significar algum desconforto e dificuldade de acesso. Mas nada que nos tire o sono. Seja como for, um lugar assim, de natureza tão exuberante e bela, não existe sem que perrengues e desafios sejam colocados para os seus visitantes. Vejamos:

 

1) Em primeiro lugar cabe mencionar a questão da qualidade do ar. Como dissemos, a Chapada está situada no centro do pais, longe do mar e de qualquer reserva abundante de água. Significa dizer que a região é dominada por um clima seco, quase desértico. Pessoas que tem alguma dificuldade respiratória ou alergia (como renite), devem andar com soro fisiológico ao seu lado. Caso contrário, não se espante caso seja acometido por uma crise mais aguda.

 

No inverno, estação seca, muitas cachoeiras secam!

 

2) As cidades que se encontram instaladas na região são lugarejos simples e modestos. Não há, como regra, luxo ou conforto que se pode ter em hotéis e pousadas dos grandes centros. Além disso, a região é essencialmente dominada, além de visitantes de perfil mais aventureiro, por hippies ou pessoas de perfil aproximado. Isso dá um ar de leveza e juventude ao local, mas, ao mesmo tempo, parece reforçar uma certa imagem de descuido e improviso. É, portanto, preciso ajustar suas expectativas com relação aquilo que o lugar é capaz de oferecer. Por exemplo, nós nos instalamos no Hostel Catavento (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/alto-paraiso-de-goias-hostel-catavento/), membro do Hosteling International. Precisamos reconhecer que o Catavento ficou, em matéria de conforto, um pouco abaixo do que esperávamos. Na cidade encontramos alternativas que pareciam ser melhores (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/alto-paraiso-de-goias-chappada-hotel/).

 

Tudo pode ser simples, mas há mão de obra muito especializada!

 

3) É preciso muito cuidado e respeito na hora de você definir a sua programação na região. Há trilhas e atrações para todo tipo de fôlego, não se aventure a fazer aquilo que não tem condições de fazer. Caso contrário, transformará momentos de prazer em tortura. Exemplo é a trilha que dá acesso à Janela do Abismo (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/chapada-dos-veadeiros-trilha-para-a-janela-do-abismo/). O lugar é absolutamente fantástico, mas precisamos reconhecer que se trata de um percurso para pessoas que tenham preparo físico em dia. Além disso, não convém levar crianças, de modo algum!

 

Trilha para a Janela do Abismo

 

4) Há, como alternativa, trilhas bem tranquilas e adaptadas para o acesso de idosos, crianças e pessoas com algum tipo de dificuldade de locomoção. Essa "tranquilidade", no entanto, cobra um preço: multidões! É preciso, portanto, chegar cedo em determinadas atrações. Uma delas é o famoso Vale da Lua (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/alto-paraiso-de-goias-o-vale-da-lua/).

 

5) Há trilhas e atrações de nível de dificuldade intermediário. Por intermediário se entenda uma caminhada de cerca de 10 km ida e volta, mas em terreno plano. Em meio ao sol e a vegetação rasteira do cerrado, veja que não estamos falando de alguma coisa que seja desprezível. Um exemplo de caminhada desse nível, no interior do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, é a trilha que nos vela os Canyons. Sinceramente, não recomendamos que levem crianças pequenas, mas há quem leve (foto abaixo).

 

 

Caso pretendam viajar para a região, podemos dizer que muito vale à pena. Pensamos que os problemas e perrengues podem ser enfrentados ou minimizados caso você: em primeiro lugar, estando fora de forma, faça umas caminhadas, melhore um pouco o vigor físico. Por que? Assim poderá curtir as trilhas intermediárias sem que elas se transformem em martírios. Em segundo lugar, convém escolher com cuidado sua estadia. Os dias são quentes e cansativos, apesar do prazer. No final de cada um deles, merecidamente, desejará uma noite mais confortável. O resto é aproveitar!

 

Sugestão de roteirolaura-no-mundo.webnode.com/products/chapada-dos-viadeiros-goias/