Bastidores: trabalhando um roteiro (ou como se organiza uma viagem)

06/08/2014 07:17

 

Em outra oportunidade escrevemos sobre nossas estratégias para obter passagens promocionais ou prêmios (aquelas obtidas por intermédio de milhagens): laura-no-mundo.webnode.com/news/como-acumular-e-utilizar-pontos-de-milhagens-e-passagens-pr%C3%AAmio-/

 

Podemos garantir que essas estratégias são eficazes. Por seu intermédio fomos capazes de financiar, ao menos em parte, viagens para Argentina, França, Reino, Portugal, Chile, Leste-europeu, fora viagens feitas pelo Brasil. Mesmo em um ano dificil, como esse que vivemos, fomos capazes de aproveitar algumas oportunidades (laura-no-mundo.webnode.com/news/viagens-safra-2015-preparativos/

 

Para que essas viagens sejam proveitosas, há de se imaginar que teremos que trabalhar nossos roteiros cuidadosamente. Preparar roteiro não é, jamais, construir uma "camisa de força", sobre a qual estruturamos um ir e vir regulado por horários rígidos, mas sim costurar possibilidades e visitas que estejam acentadas em maior racionalidade, de modo que ganhemos tempo, economizemos dinheiro e, é claro, a diversão esteja garantida. 

Em Berlim, estávamos nos achando frente a intrigante rede de metrô da cidade (dezembro de 2014)

 

Temos, nesse momento, um grande roteiro em elaboração para Suiça e Itália. O que podemos dizer, em termos gerais, sobre eles?

 

1) Há ferramentas valiosas que nos ajudam. Uma delas é o Google maps. Com ele é possível dimensionar, com precisão, distâncias entre destinos. Por exemplo, descobrimos que destino A está à cerca de 12 minutos de caminhada do destino B. Isso nos permite construir roteiro que viabilizam a exploração de uma cidade de acordo com "blocos de visitas". Ou seja, em um bairro ou região da cidade, podemos elencar atrações, evitando o circular desnecessário pela cidade de destino.

 

2) Podemos, ainda, escolher nossa estadia não apenas considerando preço e serviços, mas também localização. Sendo a localização estratégica, podemos organizar o roteiro de modo que permita, eventualmente, um almoço ou jantar na estadia. Em situações em que alugamos um apartamento ou apart hotel, é uma medida que impõe grande economia à viagem (Veja: laura-no-mundo.webnode.com/news/paris%3a-melhor-localiza%C3%A7%C3%A3o/

 

Pelo Google Maps, por exemplo, conseguimos dimensionar distância da estação de trem de Lucerna do hotel que ficaremos. Decidimos se é possível ir à pé ou se é mais conveniente usar transporte público. Indo à pé: qual caminho à seguir? Ganhamos tempo e não ficamos presos à guichês de informação.

 

3) É possível, também, com base em informações colhidas na internet, dimensionar com alguma precisão os gastos de viagem. Por exemplo, valor médio de restaurantes, itens essenciais em supermercados, bihetes para visitas à museus e assim por diante (Ver:laura-no-mundo.webnode.com/news/como-calcular-os-gastos-de-viagem-/ )

 

4) É claro que a multiplicação de informações na internet sobre locais e viagens nos permite melhor avaliar destinos e atrações. Lemos bastante, estudamos e consideramos depoimentos e, seletivamente, levamos à sério aqueles que nos parecem mais embasados. Há de tudo, desde opiniões muito vagas e visivelmente subjetivas, até aquelas em que nos parecem mais amparadas na verdade.

 

Há uma oferta muito grande de sites e blogs especializados em viagens (Foto: Budapeste, dezembro de 2014)

 

5) É preciso ter em mente que esse "trabalho" já representa o início da "viagem". É preciso não encará-lo como um fardo, mas como uma atividade prazerosa e divertida. Cria expectativas, evidentemente, nem sempre atendidas nos destinos. Mas, podes ter certeza, torna a viagem mais segura. Pior cenário, em nossa opinião, é chegar em um destino e lá tentar obter informações sobre atrações, transporte e tudo mais que torna uma viagem viável.

 

6) Tudo isso se torna mais necessário em virtude de um princípio que temos como viajantes: jamais aderimos à pacotes de viagens. Nosso intuito é nos misturar entre a população local, de preferência fazendo uso do transporte público e caminhando bastante. Pacotes, em nossa opinião, são sinônimos de rigidez. Além disso, não nos encata a imagem de estar em um ônibus repleto de pessoasl com suas cameras fotográficas presas ao pesçoco.

 

Acessem nossas experiências de viagemlaura-no-mundo.webnode.com/roteiros-de-viagem/

 

 

 

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!