Viajando com crianças: o que levar?

06/04/2014 18:31

 

Viagem com crianças pequenas lança alguns desafios. O importante é, como ponto de partida, que os pais não sejam, por natureza, estressados. Não é incomum, por exemplo, que crianças em torno de 3 à 5 anos de idade, manifestem resistências com relação à nova dieta, aos novos sabores e às aparências dos pratos servidos fora de casa. Paciência, portanto, é utensílio básico na mochila e/ou mala de viagem. 

 

Além disso, recomendamos que, antes da viagem, os pais viajantes obtenham informações sobre o sistema de saúde para o qual se dirige. Sendo sistema universal e gratuito, tal como o inglês e mesmo o brasileiro, significa que poderá ser atendido pelo sistema público, sem restrições ou, pelo menos, sem restrições importantes. Sendo o sistema de saúde de um outro tipo, como o ultraliberal norte-americano, mais do que convém a cobertura de um confiável seguro saúde. Os serviços de saúde nos EUA estão entre os mais caros do mundo, a apolice precisa não apenas ser abrangente, mas ter boa cobertura em dolares. Maiores detalhes: laura-no-mundo.webnode.com/news/assist%C3%AAncia-%C3%A0-saude-no-exterior%3a-fique-atento-viajante%21/

 

Jardim de Luxemburgo, Paris, janeiro de 2013.

 

É bastante recomendável que levem na mala anticongestionantes, antibióticos, antialérgicos e analgésicos. Todos, é claro, devidamente prescritos por um médico. E mais: evitem levá-los na bagagem de mão. Corre o risco dela ser alvo de cuidadosa e demorada investigação por parte das autoridades da imigração (como aconteceu conosco em Londres). Leve na bagagem de mão apenas o necessário, por exemplo, soro fisiológico e descongestionante para uma longa e insalubre viagem de avião (especialmente para os vôos transoceânicos).

 

E se nos permitem um último conselho, carrinho de bêbe é uma dádiva! É claro que tudo muito depende da disposição do casal ou de quem for caminhar, certo? Mas viagem não é caminhar? Faz sentido se enfiar em vagão de metrô ou passar às pressas de taxi pelo que caberia um olhar mais cuidadoso? Se concordamos que caminhar é essencial, um carrinho de bêbe torna-se item de viagem mais do que fundamental. Quem não sabe o que é uma criança reclamando de cansaço depois de andar dois quarteirões?

E quanto mais leve e portátil ele for, melhor. Nós temos um herói a quem reverenciamos em várias viagens. Esse tem história para contar.

 

Nosso heroi