Amsterdam: o Museu da Tortura

28/01/2017 07:47

 

Fomos pela primeira vez ao Museu da Tortura, no centro histórico de Amsterdam, em agosto de 1998. Como se vê, tinha bastante tempo. Em janeiro de 2017 retornamos à cidadade e resolvemos revisitar o museu. Pouca coisa mudou. Em 1998, lembramos de uma escada ingrime que dava acesso direto ao segundo andar. Dai em diante tinhamos vista dos inusitados e assustadores equipamentos de tortura da exposição. 

 

 

Não pudemos deixar de notar, em nossa segunda visita, que o pequenino museu parecia mais organizado. Não havia mais aquele estranho acesso, pelo menos. 

 

Eis a "novo" acesso ao museu

 

Uma coisa não mudou: é um autêntico espaço dos horrores! 

 

Mas não se sintam desmotivados, pelo contrário. É surpreendente imaginar que um dia algumas pessoas resolveram usar aqueles equipamentos, engenhosamente pensados para machucar outras pessoas. E tudo isso feito sob o manto da lei e dos bons costumes! A mente humana surpreende. 

 

O dado que pode ser importante, sobre o qual ainda podemos dizer algo, é que chegavamos em nossa primeira visita à Amsterdam muito cansados e com pouquíssimo dinheiro. A jornada havia sido longa: entramos por Barcelona, tinhamos passado por algumas cidades do sul da França, seguimos para o norte da Itália e nos instalamos em Veneza; partimos, depois, para Viena e o interior da Alemanha, passando também por Berlim. De Berlim partimos para a capital da Holanda. Depois desse longo caminho, é de se imaginar que algumas atrações já não cabiam no nosso bolso.

 

Amsterdam e seus canais

 

Em nossa segunda visita, em 2017, chegamos em Amsterdam bem inteiros, pois era nosso primeiro ponto de chegada. E confirmamos: considerando o preço geral das atrações da cidade, podemos garantir que o pequeno museu da tortura tem um preço de entrada bastante razoável, digamos assim - meio piegas - nada torturante!  Enfim, é acessível, caso o visitante se interesse por esse tipo de assunto que envolve os tempos medievais.

 

 

É preciso levar à sério uma coisa que nós subestimamos. Tanto a Úrsula quanto à Laura (e especialmente a Laura) não se sentiram bem com a exposição. Levem, portanto, em consideração que o "assunto em pauta" é pesado, pois envolve sempre muito sofrimento.

 

 

Informações adicionais:

 

Acesse o webside do museuwww.torturemuseum.nl/

Roteiro para Amsterdamlaura-no-mundo.webnode.com/products/amsterdam/