Rio de Janeiro: quais são os perrengues mais comuns?

30/08/2014 18:09

 

Rio de Janeiro, "cidade maravilha da beleza e do caos", como disseram Fernanda Abreu, Fausto Fawcett e Laufer em canção muitíssimo conhecida. É, sem dúvida, um bom retrato da capital. Vejamos a dimensão do caos.

 

1) A cidade passa por conhecidos problemas de segurança pública. Em algumas regiões da cidade, a instalação das chamadas UPPs representaram certo controle das atividades criminosas; em outras, a instalação desse aparato de segurança pública ainda não foi capaz de modificar a ocupação do crime organizado. Apesar dos problemas, a ordem se encontra, como regra, estabelecida em boa parte da cidade. Quem não conhece o Rio de Janeiro, em geral, acredita que somos cotidianamente saqueados ao andar pela rua e/ou sofremos outros tipos ameaças Por conta da cobertura da imprensa e da grande repercussão de tudo que acontece pelo Rio, tudo é imediatamente amplificado. Mas, obviamente, não é a imprensa que inventa os problemas - ainda que possa eventualmente amplificá-lo. Os indicadores de violência da cidade são muito maiores do que aqueles que vemos em cidades européias. Em termos práticos aconselhamos o seguinte: ao andar pela rua procure não dar pinta de que é um turista. Por exemplo, camera pendurada no pescoço é alguma coisa que não é aconselhada.

 

 

2) O transporte público não é invejável. A rede de metrô da cidade é, como regra, limpa e organizada, mas está quase sempre muitíssimo lotada. A depender da estação de embarque e do horário, saiba que não conseguirá entrar no vagão. A lotação é tão evidente que a própria empresa tratou de criar vagões exclusivos para mulheres. Afinal, ninguém precisa de "intimidade forçada" em um simples translado. A cobertura dos ônibus é boa, mas, a depender da linha e do horário, também podemos encontrar algumas linhas muitíssimo lotadas. Mais recentemente a prefeitura criou um sistema de ônibus com faixas exclusivas que, até o momento, tem se revelado bastante eficiente (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/rio-de-janeiro%3a-do-aeroporto-antonio-carlos-jobim-%28gale%C3%A3o%29-ao-centro%2c-%C3%A0-zona-sul-e-%C3%A0-barra-da-tijuca-/). Em geral, a cobertura do transporte público é boa nas Zonas Sul e Centro da cidade. À medida que seguimos para a Zona Norte e os subúrbios, a coisa piora bastante.

 

 

3) Se vier ao Rio no verão, leia esse tópico com atenção. Entre os meses de dezembro e março a temperatura na cidade pode girar facilmente acima dos 40 graus. Torna-se insuportável passear pelas ruas, transporte público? Bem, você já leu como as coisas funcionam. Soma-se ao calor, muito frequentemente, fortíssimas chuvas ao final do dia. Veja, chuvas que põe em alerta toda a cidade, há inundações e deslizamentos. Por essa razão, nosso conselho é que visite a cidade preferencialmente entre maio e setembro, quando a temperatura está mais agradável. Como todos sabem, o inverno não costuma ser rigoroso na cidade.

 

4) Caso venha de carro, saiba que a cidade tem importante déficit de vagas em estacionamentos legalizados. Parar o carro em local proibido é pedir para que reboquem o seu veículo. Acontece que a prefeitura terceirizou a apreensão de veículos por estacionamento ilegal, ao que parece esses sujeitos são remunerados por produção. Caso estacione em vaga em um local que não seja proibido, não seja ingenuo: a vaga tem dono. Seu "proprietário" é conhecido pelo gentil nome "franelinha". Não se engane, ele não irá limpar o seu carro, mas cobrará como se tivesse.

 

Sugestão de roteirolaura-no-mundo.webnode.com/products/rio-de-janeiro-em-3-dias/