Paralimpiada: lições e diversão garantidas

11/09/2016 07:35

 

O grande evento da Olimpiada tem surpreendido muita gente. Havia, não podemos nos enganar, perspectivas relativamente fundadas que apontavam para alguma coisa como o caos. Os problemas, no entanto, não deram as suas caras, pelo menos na escala que muitos imaginavam. O resultado é que temos um evento que nos deu e dá orgulho pela beleza e qualidade de quase tudo que pudemos ver. E precisamos concordar, não é um evento qualquer.

 

A chama olímpica à frente da Candelária

 

Nós, para sermos francos, não imaginávamos nem o céu nem o inferno. Achávamos que o evento sairia dentro de certa normalidade, mas com resultados não tão surpreendentes. Por essa razão, talvez, não nos demos ao trabalho de comprar ingressos para os Jogos Olimpicos com antecedência. Quando nos demos conta disso, já era tarde, só nos deparamos com ingressos que custavam os olhos da cara! Mas não ficamos em casa a ver návios não, fomos à rua e não nos arrependemos (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/casos-dos-paises-das-olimpiadas-nosso-balanco/)

 

Na Casa do México

 

Ao fim dos Jogos Olímpicos, achamos que poderiamos e deveríamos explorar o ambiente dos chamados Jogos Paralimpicos. Fizemos isso, pela primeira vez, ontem (10.9) e não nos arrempedemos em nada!

 

Instalações do Engenhão

 

O acesso ao Engenhão, onde se realizam as provas de atletismo, foi super tranquilo, não houve tumulto ou qualquer coisa que tornasse a visita desagradável. Em resumo, o transporte funciona bem.

 

 

À cada prova uma espécie de lição. É como se os Jogos Paralimpicos fossem capazes de extrair o suprasumo do chamado espírito olimpico. Se aqueles atletas que se dizem "normais" são capazes de superar os seus limites, o que dizer daqueles que precisam fazer o mesmo, mas sempre lidando com uma restrição física, motora e/ou intelectual? Sem ser piegas, é realmente emocionante.

 

Mais uma medalha de bronze no atletismo!

 

 

Tivemos a impressão de que essa percepção é coletiva. Há entusiasmada manifestação de todos de respeito e estimulo aos atletas, sem necessariamente considerar sua performance. Um último colocado em uma das provas, por exemplo, foi ovacionado como se chegasse em primeiro lugar. Isto porque era visível que ele enfrentava limitações que os demais, aparentemente, não enfrentavam. 

 

 

Você está certo se pensar que tudo isto é perceptível nos Jogos Olímpicos. O que estamos dizendo é que nos paralímpicos essas coisas parecem ter cores mais vibrantes. "Superação" parecer ser uma palavra cujo significado é um pouco mais pleno entre os atletas paralimpicos.

 

 

Vivemos a alegria de ver a conquista da terceira medalha de ouro do Brasil pela Shirlene Coelho, no lançamento de dardos (foto acima). 

 

Shirlene Coelho comemorando sua merecida medalha de ouro

 

 

Em resumo, está ai um evento que vale sua atenção. É bacana, bem organizado e emocionante.

 

Compre aqui seu ingressoingressos.rio2016.com/rio2016.html?affiliate=mog