Carlton Hill ou leve à sério meteorologia na Escócia!

16/08/2014 14:21

 

Antes de partir para uma viagem, nós, como regra, colhemos e sistematizamos o máximo de informações que podemos sobre o nosso destino. É uma medida que, como já dissemos (ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/bastidores-trabalhando-um-roteiro/), pode evitar problemas e tornar, dessa forma, a viagem mais segura, econômica e comprometida com a diversão.

 

Não fizemos coisa diferente quando embarcamos para a Escócia no início de 2014. No que tange ao clima, as notícias eram que a região é muito instável: sol e temperaturas relativamente amenas, mas, de repente, muito vento, chuva e frio. Vários internautas chamavam a atenção para essa característica e peculiaridade da região. É preciso levar à sério isso.

 

Chegamos em uma noite fria, vindos de Londres. Nos instalamos em nosso hotel (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/ibis-edimburgo-escocia/), e na manhã do dia seguinte resolvermos, corajosamente, subir um dos dois pontos mais altos da cidade: o Carlton Hill. Ainda durante o café, no jornal, vimos alertas de ventos fortes. Ventos que, aliás, não são atípicos na cidade de Edimburgo. Pelo contrário, são uma espécie de marca local. 

 

Vejam, comprovamos uma coisa que qualquer sanitarista sabe: "não basta acesso à informação, se o sujeito não tiver boa percepção de risco". Nossa situação foi exemplar: sabíamos que a cidade sofria, naquela época, com seus ventos frios e fortes, mas ainda assim subestimamos os riscos. O resultado do descuido foi que protagonizamos um dos maiores perrengues daquela viagem.

 

 

Segundo informações oficiais, os ventos chegaram à casa dos 85 km por hora. Vento freio, cortante, e acompanhado por chuva. Com o vento, a água gelada tomava a capa de chuva e escorria roupa adentro, molhando aos poucos, escorrendo pelo corpo, gelando a pele. Quando nos demos conta de que a situação estava ficando séria, foi quase tarde. Descemos rápido a colina, Laura em seu carrinho de bêbe com sua perna quebrada (Ver: laura-no-mundo.webnode.com/news/acidente-durante-a-viagem-um-depoimento/). Foi uma correria.

 

Em alguma coisa como 15 ou 20 minutos de caminhada, sempre sob forte vento, chegamos ao centro da cidade. O café que nos abrigou foi como um bunker em uma cidade sob bombardeio. Ele nos salvou a pele. Tomamos ali um café quente, tiramos parte da roupa molhada e voltamos para o hotel. A partir dai, formatamos nossa percepção de risco e passamos a levar de forma bastante séria a força da natureza e a previsão do tempo feita pelos homens. Foi pensando nisso que preparamos a matéria a seguir: laura-no-mundo.webnode.com/news/previs%C3%A3o-do-tempo%3a-em-quem-confiar-/

 

Se optarem por não levar à sério as previsões meteorológicas, que não seja na Escócia!

 

Sugestão de roteiro para Edimburgolaura-no-mundo.webnode.com/products/edimburgo-em-4-dias/